Adriana no vestibular

0
396

Adriana ao telefone: “Tio, oi tio! Estou ótima (risos). A Flávia passou também. E alguns amigos meus. Todo mundo passou. Foi muito bom. Estudei muito com a Flávia e a gente não se desgrudou. Depois que eu fui pra Maceió, a gente ficou quase um mês estudando. A gente se afinou tanto que ela veio pra cá e passou uma semana comigo. E na próxima semana ela vem de novo. O meu melhor amigo, que estudou comigo, passou também. Foi um verdadeiro aprendizado. Tive que lutar bastante. Fiquei lá em Maceió nervosa, mas estou assim muito feliz, por ter passado de primeira. Não foi necessário a minha mãe pagar um cursinho lá em Maceió. Isso vai evitar de passar um ano sem fazer nada, graças a Deus. Foi igual à minha irmã, de primeira. Agora que vou pra Maceió, vou ter que aprender a cozinhar e a fazer tudo. Vou estudar muito e vai valer a pena.”

A palavra do pai, Adilson: “O negócio foi bacana. Sexta-feira, antes de começar a sair no rádio, a gente tomou conhecimento do resultado através de um colega das meninas. Ele teve acesso às informações e ligou para nós, dando a informação que a Adriana tinha passado. Depois a gente acessou a Internet e confirmou a informação. Em seguida, chegou a turminha dela e mais outros colegas que tinham sido aprovados e ficamos até as duas horas da manhã comemorando. Foi um negócio espetacular, emocionante. Liguei até pra o nosso irmão José, que tinha feito muita recomendação sobre o assunto. Ele ficou muito feliz com o resultado. Foi muito legal. É aquele sentimento de alegria e ao mesmo tempo de preocupação, porque é mais uma filha que vai para Maceió e a gente ficando sozinho. A Magal também fez, não foi? Isso é gostoso, não é? Eu chorei, eu ri, eu… a Marta…”

Marta: “Estou muito feliz com a aprovação da Adriana no vestibular. É a segunda filha que consegue isso, graças a Deus. Ela tem 18 anos, completados agora em janeiro. É da mesma idade da Flávia. O bom é que as duas passaram. Fico feliz com a aprovação dela mas fico um pouco preocupada com a sua ida para Maceió. É um pouco difícil pra mim. Foi mais difícil com a Paula, porque a primeira é mais preocupante. Agora já estou acostumada. Eu me preocupo com ela, por não ter experiência. Mas eu estou mais acostumada. A Paula abriu o caminho. Agora fica mais fácil para a irmã. Além da Paula, tem a Lívia. Adriana já tem ido algumas vezes. Não vai ser a primeira vez que isso acontece. Diante desse fato concreto, espero que a minha filha tenha muita responsabilidade, estude muito porque eu me sinto muito orgulhosa por ter passado de primeira no vestibular e espero que ela consiga se sair bem lá em Maceió. Ela precisa ter muita coragem porque ela vai enfrentar muita dificuldade. É muito difícil para os pais mas esta é a realidade. Temos que compreender e enfrentar. Espero que tudo dê certo; que ela se dê bem e se torne uma boa profissional. Daqui a uns anos será o Alysson. Ele disse que não vai deixar raspar a cabeça… Adriana disse que, quando o Alysson for fazer o vestibular, vai ficar na casa da tia Ana porque foi lá que as duas ficaram e se deram bem nos concursos. A Ana é uma pessoa maravilhosa. E o Alysson, quando for fazer o vestibular, vai ficar na casa dela. Eu estou muito contente. A minha família toda ficou muito contente – os meus pais, os meus irmãos. Elas são as que passaram primeiro e de primeira. Eu tenho dois sobrinhos que não conseguiram. Também a Magal passou, não foi? Vocês devem estar muito contentes, não é? E foi direito, não foi? É a família toda, hein? (risos).

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*