2014 – 4º Abel Magalhães – Carlos Lacerda: A República das Abelhas

0
673

Carlos Lacerda: A República das Abelhas

 

Autor: Rodrigo Lacerda

Páginas: 520

Descrição do produto

“Carlos Lacerda foi o político mais controverso de sua época. Para uns, foi salvador da pátria. Para outros, reacionário feroz. Seu pai, seus tios e seu avô tiveram participação igualmente decisiva nos principais lances da política brasileira, da Primeira República ao suicídio de Getúlio Vargas, em 1954.

Por volta de 1870, abolicionista e republicano, Sebastião de Lacerda entrou na vida pública. Entre 1910 e 1940, Maurício, seu filho mais velho, tornara-se um socialista utópico na Primeira República. Seus outros dois filhos, Fernando e Paulo, chegaram a secretários-gerais do Partido Comunista. Entre 1930 e 1960, seu neto, Carlos Lacerda, percorreu todo o espectro político, consolidando-se como o principal adversário de Getúlio e, em seguida, do getulismo.

Ao lado de republicanos, abolicionistas, liberais, socialistas, comunistas, explosivos, admirados, idealistas e destruidores sistemáticos, eles formam a República das abelhas, descrita com brilho por um dos prosadores mais inventivos da literatura brasileira contemporânea”.

Para mim, que li a saga de Getúlio, na trilogia de Lira Neto, a obra de Rodrigo Lacerda deixa a desejar. O ritmo é mais lento e disperso. Espera-se um livro instigante e cheio de desafios enfrentados. No entanto, ele fala muito das atividades da ascendência da família Lacerda, com destaque para o seu avô Sebastião, passando por seu pai Maurício de Lacerda e seus tios Fernando e Paulo. Por ter sido contemporâneo de Getúlio, aVargas, a obra enfoca muito o governo do grande gaúcho. Por causa disto, a

 

 

a leitura se torna mais interessante. Isto não impede de se tratar de um livro que tem o seu valor. Pena que eu esperava um enfoque diferente. Detalhe curioso: O autor se apresenta como o próprio protagonista depois de morto. Isto proporciona passagens interessantes, contadas do outro lado da vida. Como tudo é relativo, veja os comentários de outros leitores, postados no site da Amazon.

Abel de Oliveira Magalhães – Março de 2014.

Comentários de outros leitores

Casos da história da política brasileira

Carlos Lacerda escreve de maneira inusitada e reveladora uma parte importante da história brasileira que em meio a tanta informação corria o risco de ficar esquecida. Giancarlo Alcalai. – Março 2014.

Excelente

Extraordinária a maneira como foi escrito e mostrado os fatos históricos. Devo dizer que fiquei deslumbrada e recordando muitos acontecimentos que fui testemunha , apesar da pouca idade , participando emocionalmente na época e agora lendo e lembrando de tudo.
O Brasil , nação , agradece ao seu grande “filho”, Carlos Lacerda! Marcos Tamoio – Janeiro 2014.

História de família e do Brasil

Rodrigo Lacerda incorpora o avô e faz das memórias póstumas de Carlos Lacerda um romance leve de ler e que mistura de maneira divertida histórias quase lendárias da família com um resgate histórico do grande personagem político brasileiro.

É daqueles livros que dá pena de concluir, já que o leitor se envolve com o personagem e não quer ficar com saudades.

Certamente um belo presente para o centenário dessa figura tão polêmica da política brasileira, homem que pela controvérsia e liderança mostrou-se um estadista, figura quase extinta no Brasil. João Lacerda – Janeiro 2014.

 

Graças à sua intervenção, acabei de ler um resumo considerável de um livro sobre Getúlio, intitulado Agosto, exatamente a fase que estava precisando para concluir a obra interrompida no 2º livro da trilogia do Lira Neto. Parei as leituras e vim para o computador fazer as pesquisas sobre República das Abelhas. Lá encontrei farto material sobre o assunto onde já identifiquei o autor do livro como sendo o neto de Lacerda. Na verdade, o livro não identifica o Rodrigo Lacerda, por isto que fiz aquele registro meio inseguro no meu comentário: O autor se apresenta como o próprio protagonista depois de morto. Isto proporciona passagens interessantes, contadas do outro lado da vida. Descobri também que o Rodrigo baseou a sua obra em registros pessoais feitos pelo seu avô, Carlos Lacerda, o biografado. O título “A República das Abelhas” se refere a um frenesi em volta da colmeia, metáfora sobre os vários grupos políticos de olho no poder na primeira metade do século XX.  Na obra, Carlos Lacerda relembra o avô, o Juiz Sebastião; o pai, o deputado federal, Maurício; os tios, Paulo e Fernando, comunistas; e sua própria trajetória, na qual se destaca a oposição ferina a Getúlio Vargas (1882-1954) – extraído de texto publicado na Ilustrada, Folha de São Paulo de 29/11/2013.

O melhor do biografado deixou de ser escrito, foi a fase em que o Lacerda foi Governador da Guanabara e Deputado Federal. O Rodrigo foi convidado pela editora para escrever sobre o assunto e está inseguro. Possivelmente no futuro ele consiga executar o projeto. Este, sim, é o texto que eu esperava. Vou torcer para que ele encontre forças para cumprir a missão.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*