2013 – 15º Abel Magalhães – Guerra do Paraguai

0
617

Guerra do Paraguai

Autor: E. Jourdan 

Descrição do produto

“A Guerra do Paraguai, de E. C. Jourdan, é uma das fontes primárias para o estudo desta guerra. Jourdan participou de toda a campanha atuando como oficial do corpo de engenheiros do exército brasileiro. Como testemunha ocular dos principais combates da guerra, Jourdan esclarece vários pontos polêmicos do conflito. Esta edição se baseia na segunda edição revista e ampliada do livro de Jourdan publicada em 1890. Além do texto original foram incluídas várias ilustrações que auxiliam na compreensão do texto”.

Esta é a apresentação do editor. Não gostei do estilo do autor. Narra as coisas com aparente preocupação de apresentar apenas estatísticas, esquecendo de mostrar as razões do conflito, bem como o jogo de bastidores que envolve os governantes nessas horas. Se eu não tivesse lido os livros do Laurentino Gomes, antes, teria sido pior. Desta forma, fiquei com a sensação de não ter aproveitado melhor o tempo. De qualquer maneira, a leitura de qualquer livro nunca é inútil. Fica alguma coisa importante. Disse ele ao final: “Assim terminou a longa e sanguinolenta luta, em que se empenharam três nações para extirpar a tirania do sul da América”. Destacou “o vulto gigantesco do Império, cujas profundas feridas, abertas por cinco anos de sacrifícios enormes, reclamaram sérios remédios para sicatrizarem”. “Foram mais de 100 mil valentes filhos, que marcaram nas legendárias sepulturas a senda gloriosa da santa cruzada, em prol da qual pelejaram três povos irmãos contra a tirania que humilhava outro”.

Merece grande destaque o que o autor disse sobre a mãe de Deodoro da Fonseca. Entre tantas outras senhoras brasileiras, a veneranda mãe dos patrióticos Fonseca, d. Rosa Maria Paulina da Fonseca: “Seus sete filhos partiram logo para a guerra: Manoel Deodoro da Fonseca;Hermes Ernesto da Fonseca; Dr. João Severiano da Fonseca; Severiano Martins da Fonseca; Hipólito Mendes da Fonseca; Eduardo Emiliano da Fonseca e Affonso Aurélio da Fonseca. Esta senhora ensinou a seus filhos o caminho da honra, do desinteresse e do patriotismo, a fim de melhor servir a sua estremecida pátria. Nos combates e nos sacrifícios, ninguém os ultrapassou. Firmeza e desinteresse ao nobre generalíssimo chefe do Governo Provisório para a prosperidade e unidade da pátria brasileira”.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*