2012 – 11º Abel Magalhães – O X da Questão

0
707

O X da Questão

Autor: Eike Batista

 

Que livro maravilhoso! Acabei de lê-lo e vou logo fazer a sinopse para aproveitar o embalo da emoção. Trata-se de uma obra auto-biográfica em que o leitor, ao começar, não quer mais parar. É envolvente, cheia de entusiasmo, motivação, ensinamentos e grandes conquistas. A orelha do livro é escrita pelo pai do autor – Eliezer Batista – que faz também o Prefácio. Com certo acanhamento ele começa falando da dificuldade de se falar publicamente dos méritos de um filho. Ele diz: “O filho é a soma de todas as virtudes. Mas, até onde o amor e o enlevo permitirem, procurarei desempenhar com a maior dose possível de discernimento minha honrosa tarefa”. E começa a destilar os méritos do filho. Diz que o grande acerto dele foi não negar sua própria natureza; que desde a adolescência ele jamais se contentaria com desafios rasos; e que todos os méritos dos sete filhos eram creditados à saudosa mãe, Jutta Batista. Destaca as qualidades da esposa, dizendo que ela foi mãe ao quadrado e pai ao cubo, quando necessário. Isto porque ele precisava se ausentar muito por causa da profissão e os filhos ficavam com ela. E foi essa doce criatura que educou literalmente os filhos. Diz que, desde jovem, Eike demonstrou apetite voraz por conhecimento. A avidez foi determinante para gerar seu espírito empreendedor. Quando o pai assumiu a área internacional da Vale, foram morar na Europa. Estudou em Genebra, na Suiça. Seu senso de responsabilidade fez com que ele começasse a enfrentar os primeiros desafios. O dinheiro recebido para as despesas na faculdade estava sendo insuficiente. Para não pedir ao pai, começou vendendo diamantes na Europa, onde foi estudar. Aí aconteceram os primeiros sucessos. Resolveu o problema financeiro da faculdade e adquiriu os primeiros conhecimentos sobre minério. Pensou explorar o segmento no Brasil. Com o tempo voltou e embrenhou-se como um bandeirante do século XX na Amazônia em busca de ouro. Enfrentou muita adversidade, inclusive atentado homicida, e não parou mais. Explorou várias minas de ouro, mecanizando-as e modernizando-as. Tomou dinheiro emprestado a dois comerciantes do gênero. Num primeiro instante teve prejuízo pesado. Com sua fibra e empreendedorismo, contou com nova demonstração de confiança dos credores. Foi bem-sucedido. Em sua trajetória, deu vôos mais altos, chegando a comprar o risco de um investimento malogrado no Chile, a mina de La Coipa, localizada a quatro mil metros de altitude no deserto de Atacama e a transformou num dos grandes projetos da mineração chilena. Com sua visão futurista, tornou-se acionista de uma das mais importantes produtoras de ouro do mundo e idealizador de um dos maiores empreendimentos da área de infraestrutura da história do Brasil. Em meio ao seu grande sucesso não se esqueceu de se dedicar também ao meio ambiente e à sociedade em geral. O livro permite que o leitor tenha acesso às fartas doses de esforço, dedicação, ousadia e competência por trás das realizações de Eike Batista. A obra é simplesmente maravilhosa. O livro é facílimo de ser lido. É empolgante e cheio de ensinamentos de vida. Para um empreendedor, um cidadão comum ou qualquer criatura que se preze, a sua leitura é indispensável e altamente recomendável. O pai – Eliezer Batista – encerra o seu comentário na orelha do livro, dizendo: “A mãe dos meus filhos tinha uma forma bastante especial de motivá-los. Ela dizia que todos deveriam ser melhores do que o pai. Hoje posso dizer com desmedido orgulho: todos me superaram nas realizações, nas ideias, na rigidez de caráter e na generosidade. Ter sido ultrapassado por eles é a maior conquista, a peça mais valiosa em minha sala de troféus”…

 

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*