Conversando com o presidente Cláudio

0
587

Notícias da diretoria

Conversando com o presidente Cláudio

O papo aconteceu na chácara Lilibel, “conhecida também como O Paraíso da Magal”, segundo Cláudio. (José Magalhães falou isso também. Dias antes ele perguntou ao editor do NF: Tem ido à chácara Paraíso da magal?). A reunião vai ser quando, presidente? Conforme programação apresentada pelo Departamento social, será no dia 21, mas a reunião deve acontecer no período normal, no dia 8 de junho, a fim de a gente programar as festividades do mês. Sempre que programamos alguma coisa, pensamos logo na situação do pessoal de Maceió, visando conter gastos. A reunião fica confirmada para o dia 8, quando iremos pedir que todos participem do São João devidamente vestidos a caráter; será eleita a matuta mais caracterizada, além da promoção do bingo e do balaio do São João. A festa vai ser numa chácara pertencente ao cunhado do Adilson e haverá forró ao vivo. Lembramos que os associados podem levar os parentes e amigos como seus convidados para abrilhantarem o grande acontecimento. Assim, solicito a presença de todos os associados na reunião da diretoria, para que possamos organizar o melhor São João de todos os tempos.

P — Como está a inadimplência?

R – Com a matéria publicada no NF, houve uma melhora significativa. Mas existem alguns casos meio complicados. Trata-se de algo muito melindroso. Penso em tomar algumas providências, mas… me acanho. É como se estivesse pisando em ovos. Precisa ter muito cuidado. Quando você fala com uma pessoa ligada ao assunto, outro já não concorda… É importante lembrar que o Juracy, mesmo sendo um dos irmãos com menor poder aquisitivo, nunca esquece de honrar os seus compromissos com a tesouraria. Enquanto isso, outros casos são lamentáveis… (Ouvindo o papo, Magal disse que a tesouraria seria o último cargo a ocupar numa diretoria).

 

Curso de fotografia

O Presidente informou que participou de um curso de fotografia, patrocinado pelo empresário do ramo, Nilson Ventura, dono do Foto Nacional, tradicional casa do ramo em Arapiraca. Cláudio classificou o curso como muito bom e destacou que, para ser um bom fotógrafo, é preciso capturar aquelas poses naturais. Citou a criança como elemento muito rico em suas fases naturais de vida. Certas coisas precisam que você esteja sempre com uma maquina à mão para documentá-las. O curso foi realizado no espaço Cultural, ambiente seleto da cidade de Arapiraca e foi bastante prestigiado. No final houve a distribuição de muitos presentes, como máquinas fotográficas, certificados etc. Perguntamos por que o Raniery não participou do curso. Conclusão: parece que ele só gosta de exposição de animais. Perguntamos se apareceram “modelos” para serem fotografadas e Cláudio disse que não. Apenas crianças, natureza, etc. Cláudio pensava que todo filme era mais ou menos igual, mas ficou sabendo da grande diversidade de modelos e respectiva sensibilidade. Entusiasmado, disse que são macetes e detalhes que fazem a diferença, como focalizar bem o objeto que se vai fotografar, incidência de luz, etc. Foram inscritos cerca de 500 candidatos e houve a participação de 700. Todas as funcionárias do Nilson estavam lá e contribuíram para o brilhantismo da festa. O instrutor foi um técnico de renome da Kodak.

 

Sobre a ata

P – E a ata, gostou?

R — Adorei, sobretudo no final, quando você registrou que o presidente distribuiu rosas com as senhoras presentes à reunião. Aproveito para ressaltar que todo mundo gosta de uma reunião bonita, mas não sabe que por trás daquilo existe um gasto, um esforço, uma dedicação exemplar. Às vezes a gente exige reunião bonita, com festas sem perceber a dedicação de outros. Chegamos até a esquecer de pagar as obrigações normais!!! Não vou discutir quanto foi gasto naquela reunião, mas eu lhe sou sincero, tudo tem um preço. O objetivo foi conseguido e eu estou realizado, porque tudo aconteceu da melhor maneira possível.

P — E o enfoque da ONG Candeeiro Aceso?

R — Foi importantíssimo. É uma maneira de despertar o potencial do FAM, principalmente a 2ª geração, que precisa ter mais gás, chegar junto e acontecer.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*