Cantinho da Magal – Carinho ao NF

0
620

Recebi o NF pela manhã, quando estava estudando para a faculdade. Deixei de lado os estudos para lê-lo imediatamente.

Impressionante o impulso que a gente tem assim que recebe o jornal. Deixa tudo de lado para abri-lo.

Ao começar, debrucei-me na leitura e me emocionei lendo Ecos do Rio com a referida homenagem. Falando nisso, não sei quando não me emociono com essa matéria. Acho que sempre detecto nas entrelinhas a emoção de quem a redige.

O jornal, como sempre, me proporciona surpresas, emoções e conhecimentos variados. Todas as vezes me arrependo de deixar minha colaboração para última hora, tornando o trabalho do redator mais árduo. Por isso, resolvi colaborar com muita antecedência, aproveitando a inspiração motivada pela leitura do mesmo.

Agradeço a homenagem e tenho a consciência plena de que os desafios começaram agora e sempre virão outros e outros, a começar pela montanha de livros que tenho de ler em meu curso sobre variadas matérias, mas estou disposta a enfrentá-los. Apenas preciso de calma para não deixar o emocional destruir minha perspectiva de vida.

Por falar em curso, minha primeira aula foi sobre a Idéia do Social na Antigüidade, da disciplina Teoria Social e Histórica. Trata do pensamento na Antigüidade, dos filósofos gregos Sócrates, Platão, Aristóteles; do desenvolvimento das Polis e outras coisas. Isso me fez lembrar o tio Zé. Toda segunda-feira eu lembro dele; acho que se ele estivesse aqui pertinho, na casa da vovó, nós conversaríamos muito sobre a Grécia. Mas, tudo bem. O que importa é que, apesar de estar com dificuldade de assimilação, estou estudando muito e me esforçando bastante para aprender, sem deixar de esquecer a sempre boa vontade de meu pai em ajudar-me com livros e apoio moral.

 

Um beijo. Adorei o jornal!

 

 

A importância do estudo

 

Estudar, abre caminhos para quem os faz. É um processo relevante para o engrandecimento pessoal, é a oportunidade que todos têm ou precisam para melhorar, tornarem-se competentes ou conhecedores dos fatos e das coisas.

Quero com isso incentivar aqueles que pensam fazer vestibular e ainda não fizeram e aqueles que fizeram e perderam. Não desistam e não percam as oportunidades oferecidas. Às vezes, elas não voltam mais. Se, para quem tem estudo, está difícil, imagine quem não tem. Como exemplo, estou fazendo minha segunda faculdade e estou sentindo (já) dificuldades de assimilação porque tudo é novo, conhecimentos novos, ambiente diferente, pessoas deferentes. Voltei a ser aluna-situação, para tentar uma nova profissão e ser melhor sucedida profissionalmente.

Com tantos exemplos citados pelo tio Zé, quero ser o exemplo da segunda geração, a nunca desistir e sempre tentar melhorar com muito empenho e dignidade.

 

Um beijo grande.

Magal.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*