Formação profissional

1
741

A trajetória da Paulinha

Formação profissional – Formada em Enfermagem, especializou-se em Docência, fez Mestrado em Saúde Coletiva pela UFPE e Doutorado pela USP.

Na trajetória de sua vida estudantil enfrentou dificuldades como é natural em tudo na vida. No caso, enfrentou tudo com o sonho de alcançar a sua independência em todos os sentidos. Começou na UFAL, em Arapiraca. Se não tivesse passado no vestibular, teria que fazer cursinho. E não existia o recurso em Arapiraca. Maceió era muito difícil por causa do poder aquisitivo. Detalhe: Fernando e Ana Machulis a acolheram em sua residência, cedendo a hospitalidade necessária para os passos iniciais. Durante um ano, Paulinha ficou sob o citado teto, até que a Lívia foi para Maceió e as duas se transferiram para um apartamento. Na graduação, a maior dificuldade foi a ausência de um computador para fazer o TCC (Trabalho de Conclusão de Curso). O problema foi resolvido com a ida para a casa de um primo de uma colega no bairro de Bebedouro em Maceió. Por causa da dedicação, foi bem-sucedida no empreendimento. Na festa de sua formatura, a família Magalhães marcou presença, prestigiando o evento e valorizando a causa. O Mestre de Cerimônia fez uma surpresa: anunciou a entrega de um certificado de Honra ao Mérito ao melhor aluno do curso, aquele que tinha conseguido o melhor coeficiente de aproveitamento. Paulinha foi agraciada com a comenda e, sob forte emoção, ouviu um grito ecoar do meio da platéia que vibrava: “Ela é Magalhães!” Quem deu o grito? Sua tia Lurdinha, que foi seguida de forte aplauso. A primeira vitória estava garantida.

Foi nomeada para prestar serviços profissionais na cidade de Boca da Mata (AL), depois de aprovação em concurso público. Dois anos e meio depois, foi aprovada em concurso da UFAL para Docência. Observando o desempenho dos professores, percebeu a possibilidade de transformar as pessoas através da educação. Percebia que as pessoas precisavam de um suporte adequado para melhorar sua condição de vida; o seu poder de opção. A saída estava na Educação. A idéia brotou em sua cabeça desde a época de estudante. Esperava ser professora quando estivesse mais velha. Foi engano. Executou o objetivo bem mais cedo. Por isto está feliz. E é o que mais deseja. Precisando evoluir para crescer no mercado, fez Mestrado. Obstáculo: estando no estado probatório na UFAL, precisou se deslocar semanalmente para Recife, durante um ano, tendo de voltar para dar aula em Arapiraca. Era muito cansativo. Enfrentou várias disciplinas, mas terminou o Mestrado com sucesso.

Doutorado – Foi para uma reunião em Maceió. Ao chegar ao destino, o encontro tinha sido cancelado. Por acaso, um professor avisou que havia um Edital sobre Doutorado, com duração de quatro dias, cujo início era exatamente naquele dia em que ela se encontrava em Maceió. Parece que tudo estava sendo feito de forma a evitar que os interessados não tomassem conhecimento, para aliviar a concorrência. No caso dela, uma dificuldade a mais. Eram apenas quatro dias e tinha que providenciar toda a documentação exigida pelo Edital. Teve que elaborar um projeto; fazer uma prova de Inglês; e se submeter a uma entrevista. Fez tudo. Diz ela que foi a vontade de Deus. Apesar de todo sacrifício, foi aprovada. O curso vai ser iniciado no próximo mês de março e tem duração de quatro anos. Área: Enfermagem. Entidade: USP. Como se vê, será mais um grande desafio, para o qual se encontra preparada. Com a graça de Deus, será bem-sucedida.

Agradecimento – Perguntada sobre registrar alguma mensagem ao público-alvo deste documento, ela fez questão de mostrar dois aspectos. “Agradeço ao meu pai pelo incentivo que me tem dado; à família por ser bem estruturada; ao FAM por ter se revelado fonte de segurança e apoio nas horas difíceis (é constituído de uma família maravilhosa e exemplar). E um conselho aos de sua faixa etária: “Lutem pela sua independência. Não existe bem maior”, finalizou.

Abel de Oliveira Magalhães

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

*