2020 – 6º livro – Trem-Bala

0
197

2020 – 6º livro – Trem-Bala

Autora: Martha Medeiros.

Martha Medeiros conquistou milhares de leitores com o seu trabalho de cronista e poeta. Chamou a atenção de intelectuais do porte de Millôr Fernandes e Caio Fernando Abreu, entre outros, e rapidamente se impôs como uma das escritoras de maior empatia com o público leitor nos jornais e revistas onde é publicada.

Trem-bala reúne mais de uma centena de textos de Martha Medeiros. Neles, a autora reflete sobre o que querem as mulheres, sobre relacionamentos virtuais, o fim da paixão nos tempos modernos, seus escritores, livros e neuras preferidas, sobre a rivalidade de um bom beijo versus uma transa insossa, e muito mais. Eis um conjunto poderoso de onde emerge uma das maiores cronistas em atividade no país. Um estilo direto, que consegue ser comunicativo e profundo ao falar sobre o cotidiano e que passa ao leitor poesia e generosidade através daquilo que Caio Fernando Abreu qualificou como “sua voz pessoal e inconfundível” – pensamento da editora.

A abordagem do tema penetra no âmago da vida introspectiva do público-alvo. Levanta a tese de algumas pessoas que se queixam de que nada dá certo em suas vidas. São as vítimas do esquecimento alheio, do ninguém-me-ama, do ninguém-me-quer. Ao olharmos de perto, descobriremos que essas pessoas esperam que tudo caia do céu e só rezam pela cartilha da sorte, recusando-se a mexer um dedo para intervir no resultado final. Dizem-se discretas, tímidas, reservadas. Podem até ser, mas é passividade.

Ao longo dos textos, ela faz referência a todos os aspectos da vida da mulher. Detalhe muito importante na abordagem sobre o parto, quando ela afirma que “o parto é a glória”. E que algumas mulheres não concordam, porque tiveram partos dolorosos e demorados. A maioria delas tiveram contrações ritmadas, dores suportáveis e uma alegria incomensurável ao final do procedimento, quando o parto se transforma numa consagração. É um momento 100% sensitivo, onde só o que conta é a natureza e o coração. Não se pensa em absolutamente nada, em compensação sente-se tudo: a dilatação do corpo, o calor, a suspensão do tempo. “É quando realmente fazemos jus ao título de fêmeas”, diz.

Sobre o sentimento universal do amor, diz entre outras coisas: “Ninguém ama outra pessoa pelas qualidades que ela tem, caso contrário os honestos, simpáticos e não fumantes teriam uma fila de pretendentes batendo à porta. O amor não é chegado a fazer contas, não obedece à razão. O verdadeiro amor acontece por empatia, por magnetismo, por conjunção estelar. Costuma ser despertado mais pelas flechas do Cupido do que por uma ficha limpa”.

Sua obra é imensa. Seu estilo transmite paz e serenidade. Feliz de quem lê a sua obra.

Martha Mattos Medeiros é uma escritora, aforista e poetisa brasileira. É conhecida como uma das melhores cronistas brasileiras. Entre suas obras mais conhecidas estão Divã, Doidas e Santas e Feliz Por Nada. Seus livros já ultrapassaram a marca de 1 milhão de exemplares vendidos. Wikipédia

Nascimento20 de agosto de 1961 (idade 58 anos), Porto Alegre, Rio Grande do Sul

NacionalidadeBrasileira

FormaçãoPontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul (1982)

FilhasLaura RamosJúlia Ramos

PaisJosé Bernardo Barreto de MedeirosIsabel Mattos de Medeiros

Maceió AL, 29 de março de 2020

Abel de Oliveira Magalhães

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*