2020 – 2º livro – Escravidão – Vol. 1

0
34

Laurentino Gomes

“Depois de receber diversos prêmios e vender mais de 2,5 milhões de exemplares no Brasil, em Portugal e nos Estados Unidos com a série 1808, 1822 e 1889, o escritor Laurentino Gomes dedica-se a uma nova trilogia de livros-reportagem, desta vez sobre a história da escravidão no Brasil.

Resultado de seis anos de pesquisas e observações, que incluíram viagens por doze países e três continentes, este primeiro volume cobre um período de 250 anos, do primeiro leilão de cativos africanos registrado em Portugal, na manhã de 8 de agosto de 1444, até a morte de Zumbi dos Palmares.

Entre outros aspectos, a obra explica as raízes da escravidão humana na Antiguidade e na própria África antes da chegada dos portugueses, o início do tráfico de cativos para as Américas e suas razões, os números, os bastidores e os lucros do negócio negreiro, além da trajetória de alguns de seus personagens mais importantes, como o Infante Dom Henrique, patrono das grandes navegações e descobrimentos do século XV e também um dos primeiros grandes traficantes de escravos no Atlântico.

Esta é uma história de dor e sofrimento cujos traços ainda são visíveis atualmente em muitos dos locais visitados pelo autor, como Luanda, em Angola; Ajudá, no Benim; Cidade Velha, em Cabo Verde; Liverpool, na Inglaterra; e o cais do Valongo, no Rio de Janeiro.

Os dois volumes seguintes, a serem publicados até as vésperas do bicentenário da Independência Brasileira, em 2022, serão dedicados ao século XVIII, o auge do tráfico de escravos, e ao movimento abolicionista que resultou na Lei Áurea de 13 de maio de 1888, chegando até o persistente legado da escravidão que ainda hoje assombra o futuro dos brasileiros” – Mensagem dos editores.

Trata-se de um livro robusto. Como afirmado acima, o autor visitou vários países fazendo suas pesquisas. O resultado é uma obra fantástica, que todo mundo deveria ler, a fim de tomar conhecimento das inacreditáveis dificuldades e injustiças que os nossos antepassados sofreram. Realce-se também a crueldade dos patrões e exploradores da época, inclusive a Igreja Católica que mandava no mundo inteiro. As cenas descritas são muito fortes e deixam o leitor bastante revoltado e ao mesmo tempo com um sentimento apiedado por ter havido tanto sofrimento. Note-se também que, apesar de tudo que aconteceu, o mal ainda permanece, provocando muita injustiça pelo mundo afora. Por tudo isso, achamos que o livro deveria ser lido pelo maior número possível de pessoas, a fim de tomarem conhecimento das atrocidades vividas e enxergar o mundo com outros olhos.

Sobre o autor.

“Paranaense de Maringá e seis vezes ganhador do Prêmio Jabuti de Literatura, Laurentino Gomes é autor de 1808, obra sobre a fuga da corte portuguesa de dom João para o Rio de Janeiro (eleito o Melhor Ensaio de 2008 pela Academia Brasileira de Letras); 1822, sobre a Independência do Brasil; e 1889, sobre a Proclamação da República; além de O caminho do peregrino, em coautoria com Osmar Ludovico da Silva — todos publicados pela Globo Livros. Formado em Jornalismo pela Universidade Federal do Paraná, com pós-graduação pela Universidade de São Paulo, é titular da cadeira de número 18 da Academia Paranaense de Letras.

Maceió, 31 de janeiro de 2020

Abel de Oliveira Magalhães

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*