ATA DA REUNIÃO DE SETEMBRO DE 2018

3
90

A reunião aconteceu na residência do associado Miguel de Oliveira Magalhães, com início às 10:55h. Betinha fez a oração inicial, excepcionalmente oferecida a Nª Sª de Fátima, em prol da saúde da querida cunhada, Fátima de Oliveira Magalhães, que se encontrava hospitalizada no Rio de Janeiro. Em seguida, o secretário Abel de Oliveira Magalhães leu a ata da reunião anterior, que foi aprovada.
Tesou – O tesoureiro Cláudio Magalhães leu o balancete do setor, com o seguinte resultado: Créditos do período: R$ 528,77. Débitos: R$ 60,00. Balanço: Saldo anterior: R$ 6.507,88; Créditos: R$ 528,77; débitos: R$ 60,00. Saldo atual: R$ 6.976,65. (Detalhamento reproduzido no final deste documento).
Direção social – O diretor Marcos César homenageou os aniversariantes do mês. Agradeceu o apoio recebido na execução do projeto funerário de um membro da família, Juraci Nunes de Magalhães. Fez referência à árvore genealógica, cuja atualização ainda não foi concluída por causa dos transtornos causados pela mudança residencial da associada Rose para Maceió. Lamentou a falta de realização do campeonato de biriba, que ainda não perdeu de vista. Sugeriu o dia 12/10 para a sua realização e disse que quer fazê-lo numa chácara. Falou sobre o próximo passeio do FAM. Conforme prometido, apresentou três sugestões para conhecimento dos associados: São Miguel dos Milagres (AL); Garanhuns (hotéis-fazenda) e Gravatá (PE). Lembrou que Alagoas está muito valorizada, com os preços muito altos. Fernando aproveitou e sugeriu Brejo Grande, em Sergipe, às margens do rio São Francisco, que trás boas recordações. A citação do rio empolgou a plateia. Fernando citou inúmeras vantagens para o local. O assunto provocou outras sugestões. Cláudio sugeriu passeio a vapor pelo rio São Francisco durante dois dias e Betinha sugeriu Carneiros, em Pernambuco. Marquinho falou sobre a saúde da tia Fátima. Citou o intercâmbio proveitoso entre as famílias sobre o assunto e manifestou os votos de pronta recuperação da querida tia. Falou sobre o desafio de executar o funeral do tio Juraci, que falecera em Ipatinga – MG e teve que ser transferido para Arapiraca, onde foram cumpridas as exéquias. Disse que jamais tinha enfrentado tamanho desafio, mas com a ajuda da família Magalhães e do FAM, tudo foi resolvido da melhor maneira. Agradeceu, emocionado, a colaboração de todos.
Direção de patrimônio – O diretor Adilson informou a louvável iniciativa da Ivany, que providenciou portão eletrônico para a recém-reformada garagem do casarão. Ela recebeu uma salva de palmas.
Palavra livre:
Fizeram uso da palavra no segmento, os seguintes associados:
BETINHA – Disse que estava muito feliz e orgulhosa com a atitude da família; dos irmãos; dos sobrinhos, inclusive do Marcos César, que desenvolveu um trabalho brilhante na execução do funeral do Juracy. “O que ele fez eu tenho certeza que a minha mãe, onde estiver, ficou muito feliz” – arrematou. E parabenizou o FAM, que cumpriu a sua parte, mostrando que agora ele funcionou. Aproveitou e disse que o fato lembrou o tio Júlio, que era isso o que ele sempre queria. Disse que aproveitou e rezou pelo citado tio. Citou o Arimatéia, (um presbítero amigo da família), que teria ficado encantado com a família Magalhães, de quem é um grande admirador. (Ficou a sensação de que ele merece uma homenagem especial).
MIGUEL – Agradeceu a presença de todos prestigiando a reunião que aconteceu em sua casa. Lembrou, emocionado, o fim de semana anterior ocorrido na casa de veraneio do irmão Cláudo Magalhães, em Coruripe e agradeceu o costumeiro gesto de hospitalidade do referido irmão. Cláudio aproveitou e disse da sua satisfação em receber toda a família na sua casinha do Pontal de Coruripe. Reforçou que era sempre um prazer, tanto para ele como para a sua esposa, a querida Ana Lúcia. (Foi aplaudido).
FERNANDO – Presente à reunião festiva, Fernando registrou alguns pontos essenciais na vida de todo mundo e destacou, de acordo com a sua ótica, os aspectos a seguir abordados. Iniciou dizendo que tem muito orgulho de pertencer à família Magalhães. Disse que ela tem um valor extremamente raro. E citou o caso do funeral do irmão Juracy. Disse que estava muito orgulhoso do belo exemplo de ação em torno do assunto e parabenizou a família, bem como o Marquinho pelo belo resultado. Destacou o Marquinho como figura-chave no sucesso do empreendimento. Aproveitou e anunciou algo forte acontecido recentemente com o próprio em sua vida profissional. Falou que enfrentou um estresse extremamente forte em sua vida profissional nesses últimos 30 dias. Disse que, já aposentado, não podia viver os benefícios da aposentadoria. Precisava viver trabalhando, para evitar o atrofiamento das ideias. Avisou que tinha recebido uma proposta irrecusável de trabalho da concessionária Toyota, onde já atuou. Tomou a decisão de pedir demissão da BMW, onde trabalha. No momento de executar o plano, o titular da gerência geral lhe informou que também tinha o mesmo objetivo. Concluíram que a empresa não podia ser penalizada com a saída dos dois simultaneamente. Analisado o problema, resolveu aceitar a gerência geral da BMW, em detrimento da Toyota. Destacou a importância do fato, realçando a grande mensagem para os jovens, principalmente num momento de crise que o país atravessa e também com a idade um pouco avançada. Disse: “Eu quero dar uma referência para os mais jovens”. 1º ponto: Estudem! Sejam bons no que vocês fazem. Se você não for bom no que faz, você será igual a todo mundo. 2º) Tenha humildade e não seja arrogante. Ter foco significa ser bom naquilo que faz. Ele se emocionou e recebeu o aplauso de todos. Adilson aproveitou e citou o exemplo do seu filho Alysson, que terminou o curso de Física em setembro e em dezembro fizera um concurso da UFAL que passou em 1º lugar, desbancando um concorrente que tinha Doutorado e se dizia estar pronto. Disse: “Isto me orgulha muito”.
CLÁUDIO – Disse que ainda estava emocionado com o que aconteceu no funeral do mano Juracy. Destacou o valor do FAM no cumprimento da missão. Pediu que todos se dedicassem à entidade. Lembrou os gastos obrigatórios que o FAM enfrentou ultimamente. E conclamou o apoio cada vez maior dos familiares ao movimento. Aproveitou e deu o devido destaque ao grande desempenho do Marquinho à frente da espinhosa missão do funeral do mano Juracy. Cobrou a campanha prometida pelo Marquinho para atrair adeptos para o FAM. Parabenizou o Fernando pela sua grande conquista no universo profissional e disse da sua felicidade com a presença dos irmãos na sua casa de veraneio em Coruripe. Lamentou a ausência de alguns, principalmente da Ivany. Falou, também, sobre a galeria dos ex-presidentes. Queria saber em que pé se encontrava. Abel falou que enfrentou dificuldades; que, por orientação do Marcinho, falou com o Miguel Jr para utilizar os préstimos de sua máquina fotográfica, mas ela estava com problema técnico. Tentou resolver a situação através do celular, mas não conseguiu. Aproveitou e citou passagens interessantes sobre o assunto, dizendo que sempre que vê reportagens na televisão, observa a beleza das galerias e lembra a do FAM, objeto do assunto em tela. Teceu outras considerações e demonstrou interesse em resolver o problema. A abordagem do Cláudio sobre o assunto foi oportuna.
MARQUINHO – Disse que, “NADA NA VIDA ACONTECE POR ACASO. E na família Magalhães não era diferente”. Respondendo à cobrança do Cláudio, destacou o relacionamento existente em sua casa e o hábito de estimular a presença dos familiares no FAM. Falou sobre os desafios enfrentados na execução das tarefas sobre o assunto, bem como do funeral do tio Juracy. Disse que todos precisam ser mais positivos na família. Citou casos do relacionamento com a sua família, mas disse que tem sido sempre positivo com eles. Lembrou que o avanço da idade faz com que o casal fique com o relacionamento mais difícil, mas o bom é administrar com sabedoria tais dificuldades. Citou exemplos do dia. “Não podemos ser negativos; temos que ser positivos” – disse. Lembrou a necessidade de todos terem a responsabilidade de trazer os seus familiares para as reuniões do FAM. Disse que cada um deve fazer a sua parte. Falou sobre as três fases da vida: a gente nasce, cresce, vive e “fica chato”. Disse que a nossa família tinha um diferencial. A chatice passa dentro de pouco tempo. A ideia de estimular a capitalização do FAM não estava esquecida. Disse que estava intensificando a busca do objetivo ao máximo. Descreveu passos em busca de propostas vantajosas para as tarefas do FAM junto às casas de velório da cidade. Foi autorizado a trazer propostas na próxima reunião a serem apreciadas. Agradeceu a hospitalidade do seu pai ao receber a família em sua casa para a reunião do FAM. Disse que ele estava mais feliz do que todo mundo com o fato. Sobre as propostas funerárias, Fernando lembrou o risco de empresas não terem condições de cumprir as cláusulas empenhadas. Citou exemplos e reforçou com o nº de desempregados do país – 13 milhões.
JÚLIA – Falou sobre o suporte recebido na vida através da família Magalhães. Mencionou uma pesquisa feita no Portal do FAM, através da entrevista da Vovó Olívia, feita por um de seus filhos.
VÂNIA – Agradeceu a presença de todos, principalmente do seu sogro, o associado Miguel Magalhães, em função de sua hospitalidade. Parabenizou o Fernando pelo seu grande feito. Destacou o funeral do Juracy e mencionou a importância da presença da Priscila e de seu filho Gabriel – neta e bisneto do Juracy.
Priscila, que estava presente ao recinto, informou que o Juracy teria comentado com a sua companheira em Ipatinga, Josina, que sabia que a família não tinha condições ou interesse, em caso de sua morte, de eventualmente transportá-lo para Arapiraca, onde desejaria ser enterrado. Assim, comprariam um terreno lá e fariam o seu enterro. Priscila informou que não tinha noção de quanto o FAM era tão unido. Desejou participar da reunião para agradecer pessoalmente o empenho da família no momento difícil de suas vidas. Cláudio citou passagem na missa de 7º dia, em Coruripe onde estava, quando ele colocou o nome do Juracy para a homenagem espiritual. O Pe. citou várias vezes o nome do Juracy e manifestou os votos de condolências à família enlutada.
Eram 12:50h. A reunião foi encerrada e um lauto almoço foi servido, onde todos se serviram a granel.
Arapiraca, 17 de setembro de 2018.
Abel de Oliveira Magalhães – Secretário

Arapiraca, 17 de setembro de 2018.

Abel de Oliveira Magalhães – Secretário

ΩΩΩ

3 COMENTÁRIOS

  1. Ata, além de bem escrita, retrata de maneira fiel, o evento em toda a sua essência.
    Parabéns, Abel, pela competência e dedicação carinhosa à família. Somos todos muito gratos!
    Abraço

  2. Estimado secretário, essa reunião foi histórica e ficará gravada através dos anais do FAM, com os acontecimentos em relação ao velório do associado JURACI, bem como todos os outros acontecimentos da reunião, que não foram poucos. Por isto, só posso lhe parabenizar pela beleza dos registros, que me deixaram feliz com o resultado e o orgulho de participar dessa família maravilhosa!!+

DEIXE UMA RESPOSTA

*