2017 – 18º Livro – O livro de Jô – V. 1

1
278

O livro de Jô – V. 1
Jô Soares
“Em seu aguardado livro de memórias (desautorizadas!), Jô Soares ilumina os bastidores da própria vida com humor e inteligência irresistíveis.

Prestes a completar oitenta anos e com verve mais afiada do que nunca, Jô Soares compartilha sua trajetória de astro midiático num livro de memórias escrito para fazer rir, chorar e, sobretudo, não esquecer.
O primeiro volume resgata fatos, lugares e pessoas marcantes da juventude de Jô e reconstitui seus primeiros passos no mundo dos espetáculos, nas décadas de 1950 e 1960. Entre a infância dourada no Copacabana Palace e a dura conquista do estrelato, acompanhamos o autor do nascimento aos trinta anos. Os antecedentes familiares, a meninice privilegiada nos palácios da elite carioca, a mudança para um internato na Suíça, os marcos da formação cultural do futuro showman na adolescência, a paixão pelo jazz, a estreia modesta em pontas no cinema e na televisão, o primeiro casamento e, finalmente, a conquista do sucesso numa São Paulo fervilhante: tudo que você sempre quis saber sobre Jô, ele mesmo conta, com o talento narrativo do romancista de O Xangô de Baker Street e O homem que matou Getúlio Vargas” – opinião da editora
***
De fato, o livro é uma feliz exposição da vida artística do autor desde a sua infância. Note-se o privilégio de ter nascido de pais com vocação artística e empresarial, bem como ter tido a chance de viver em países de Primeiro Mundo – Estados Unidos e Europa. Teve a sua educação forjada na Suíça. Do primeiro casamento teve a crucial experiência de ter um filho com Autismo. Sua esposa, artista vocacionada ao sucesso, sacrificou toda a sua vida em dedicação ao filho. Independente de tudo, Jô Soares teve uma vida agitadíssima e viveu intensamente o mundo artístico. Sua obra é desenvolvida no ritmo de seu próprio estilo – intensamente. A sua condição de gordo acompanhou-o a vida inteira. Isto, porém, não significou motivo de desestímulo ou desânimo. Enfrentou tudo e triunfou sob todos os aspectos. Até a condição de gordo não representou obstáculo maior. Veja a brincadeira entre ele e um amigo que queria evitar o uso do termo na apresentação da peça:
“Meu amigo, olha pra mim e pensa bem: eu não posso usar a palavra “gordo”? Isso é ligar a prepotência à megalomania” (from “O livro de Jô – Volume 1: Uma autobiografia desautorizada” by Jô Soares, Matinas Suzuki Jr.).
Desta forma, trata-se de um livro muito importante, onde o leitor toma conhecimento de uma atividade dinâmica e cheia de entusiasmo, apesar das aparentes dificuldades em torno do assunto. É um belo livro.
Abel de Oliveira Magalhães
Maceió, 15/12/2017.

Compartilhar

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

*