ATA DA ASSEMBLEIA GERAL ORDINÁRIA DE MAIO DE 2016

2
896

Abertura – A solenidade aconteceu na sede do FAM, com início às 11:10h. O presidente Wellyson solicitou da associada Ana Lúcia que fizesse a oração inicial. Em seguida, por se tratar de AGO, pediu à Assembleia que elegesse um associado para presidir os trabalhos. Foi eleito o associado Cláudio de Oliveira Magalhães. Este convocou o associado Abel de Oliveira Magalhães para secretariar os trabalhos. Em seguida, leu o Edital de Convocação. Como primeiro item do documento, convocou a tesoureira Vania Magalhães para fazer a apresentação do relatório do setor. O documento foi lido, discutido e aprovado (sua reprodução será publicada em separado). O orçamento do exercício seguinte consta do Relatório da Tesouraria, que será publicado em separado. No item “c” do Edital, ficou definida a nova mensalidade em R$ 15,00 e a anuidade em R$ 180,00. Em seguida, foi lido o Relatório da Administração, que foi aprovado sob aplausos (o documento será publicado no Portal da família).
ago9 - CópiaPalavra livre – Fizeram uso da palavra as seguintes pessoas: Wellyson, na qualidade de ex-presidente, que realçou a experiência adquirida no cargo. Disse das dificuldades enfrentadas, mas se achava recompensado pelo aprendizado. “Só quem é presidente sabe do que se trata. Antes, pensa-se uma coisa e depois nota-se que é muito diferente” – disse. Justificou o desempenho da sua gestão, que teria deixado algo a desejar. Sobre os atrasos sucessivos da realização da AGO, disse que foram motivados por compromissos educacionais que não permitiram a realização do evento. Inclusive lembrou que chegou a liberar a sua presença na realização do evento, mas não obteve sucesso. Agradeceu de forma especial ao casal Marcos/Vânia por sua dedicação à diretoria; à tia Lourdinha, Sandra e filhos por favores prestados a si na capital em termos de hospedagem. E destacou as razões da carinhosa homenagem recebida, principalmente dos pais. Finalizou agradecendo a todos de maneira indistinta.
Marcos César – Disse que tinha três abordagens a fazer: a) a sua participação na diretoria, as dificuldades enfrentadas e o lucro. “Enfrentar os desafios é gratificante” – disse; b) alinhavou aspectos sobre as placas indicativas das ruas Olívia Nunes de Magalhães e Ilda de Góis Magalhães. Disse que antes ninguém sabia de nada. Eram ruas projetadas. Hoje, com as placas colocadas nos respectivos lugares, todo mundo conhece e só se refere às ruas pelo nome das homenageadas. “Isto para mim é uma honra” – disse com emoção; c) disse que em suas andanças por Arapiraca sempre encontra pessoas que fazem referência ao FAM. Perguntam sobre a sua organização e manifestam o desejo de organizar uma unidade semelhante. Citou o caso da família Lúcio, que tem tentado e não consegue. Idem da família Barbosa Lopes, que tem o mesmo objetivo. Pediu autorização à assembleia para convidar pessoas dessas famílias para participarem de futuras reuniões do FAM e conseguirem informações para o seu intento. O seu pedido foi aceito sem problema.
Cláudio Magalhães – “A escola da vida não tem férias” – iniciou a sua fala. Realçou o valor da família, principalmente da esposa Ana Lúcia e do filho Cláudio Júnior na assistência que lhe deram quando de sua experiência dolorosa quando esteve hospitalizado. “Se não tivesse sido eles, certamente eu teria morrido” – disse. E expandiu as referências positivas aos irmãos, sobrinhos, cunhados e amigos, inclusive o Deninho e a Luminha. Agradeceu o apoio recebido de todos e pediu que lessem a matéria denominada “Via-crúcis do Cláudio”, publicada no Portal do Fam – e mais uma vez se emocionou. Manifestou preocupação com a nossa irmã Ivany, que vive muito só, principalmente nos feriadões. Disse da importância que o Adilson e o Miguel prestam a ela, sempre a visitando e se colocando à sua disposição. Lamentou a ausência do filho Cláudio Júnior (tinha saído para prestigiar a passagem da tocha olímpica pela cidade) para dizer que “não devemos guardar doenças”. Citou vários exemplos do gênero.
Vaninha – falou sobre a importância da família, dizendo que é uma bênção. E começou a chorar copiosamente, lembrando-se de sua filha Olivinha que está no Rio de Janeiro fazendo um curso na ESCOLA SESC. Fez explanação sobre a conquista da filha e agradeceu o apoio que ela está recebendo da família Magalhães no Rio de Janeiro, citando nominalmente os familiares.
Eram 13:15h. E o presidente Cláudio convidou a todos para comemorar a sua recuperação no Pontal do Coruripe, em data a ser oportunamente anunciada. A assembleia foi encerrada e o presidente convidou a todos para um almoço familiar.
Arapiraca, 29 de maio de 2016.
Abel de Oliveira Magalhães – Secretário “add hoc”

Compartilhar

2 COMENTÁRIOS

  1. Mais uma vez AGO foi realizada com sucesso, vejo só os comentários de que nossos eventos não vai acontecer, mas novamente esta provado, que sempre que é marcado, independente da presença de fulano ou beltrano, as reuniões são bem sucedidas e o melhor fortalecida, com muita emoção, receita para tesouraria e andamento de nossas propostas.
    Parabéns para todos nós, membros da família Magalhães.

DEIXE UMA RESPOSTA

*