2016 – 7º livro – Não nascemos prontos!

4
571

2016 – 7º livro
Não nascemos prontos!
Autor: Mario Sergio Cortella

Este livro inspirador nos desafia a aprender sempre, olhando o mundo e a nós mesmos sob uma nova perspectiva. O autor mostra que quando estamos insatisfeitos somos capazes de inovar, mudar e nos construir aos poucos, pois o grande desafio humano é não se satisfazer com as coisas como estão. Quem assume esse compromisso constrói uma existência significativa e gratificante – apresentação da editora.
O autor destaca o valor de uma grande e salutar insatisfação, que nos desafia a aprender sempre, a prosseguir, a perseguir, persistir, reinventar sobre o mundo e nós mesmos.
Quando estamos satisfeitos nos acomodamos. Corremos o risco de usufruir da chamada zona de conforto. Mas, é a insatisfação que nos move. O aprendizado vai acontecendo paulatinamente. E conscientiza a pessoa para não ficar pensando que sabe tudo. Quando estamos nesta situação, sempre agimos de modo a deixar a desejar.
Nos tempos modernos, um fenômeno prejudica a evolução. É a velocidade cada vez maior e as alterações que se processam. Este livrinho é uma espécie de livro de cabeceira, o qual, precisamos estar sempre consultando. Sua leitura permanente faz um bem enorme.

Sobre o Autor
Nasceu em Londrina, PR, em 05/03/1954. Filósofo e escritor, com mestrado e doutorado em Educação: professor-titular da PUC-SP, com docência e pesquisa na Pós-graduação em Educação; Currículo no Departamento de Teologia e Ciências da Religião; é professor-convidado da Fundação Dom Cabral e ensinou na GVpec da FGV-SP. Foi Secretário Municipal de Educação de São Paulo e Assessor Especial e Chefe de Gabinete do Professor Paulo Freire. É autor de vários livros.
Maceió, 11/03/2016.
Abel de Oliveira Magalhães.

Compartilhar

4 COMENTÁRIOS

  1. Abel,
    Apesar de parecer um livro de auto ajuda, penso que o tema abordado é muito significante para todos nós. Entrar em zona de conforto acontece de forma recorrente e caso não tenhamos essa noção, o resultado é involuntariamente a estagnação, ou seja a gente para de evoluir. O pior, a grande maioria de nossa gente, não tem consciência e acaba se acomodando às necessidades básicas e perde um futuro de realizações.
    A partir da sinopse, fiquei bastante motivado a ler a obra e como você sugere, manter o livro na cabeceira.
    Abr
    Fernando

  2. Não é um livro de auto ajuda tio Fernando, eu diria que é um livro que trata de questões filosóficas que nos fazem pensar sobre nossa existência.

DEIXE UMA RESPOSTA

*