Eline – São Bernardo

4
1121
Eline

São Bernardo – Graciliano Ramos
Sinopse
Paulo Honório, personagem central e narrador do livro é um homem rude e violento, dá sua vida ao trabalho para conseguir o que quer sem medir esforços e nem meios.
Persegue o sonho de adquirir a fazenda São Bernardo onde trabalhou e para isso usa de meios antiéticos corrompendo pessoas em uma rede de relacionamentos criada para obter vantagens.
A fazenda prospera em suas mãos e Paulo Honório se fortalece como agricultor e homem influente do interior de Alagoas.
Um dia, de forma prática, resolve que devia se casar e deixar um herdeiro para suas posses. Conhece Madalena, uma jovem professora primária, e consegue convencê-la a casar-se com ele.
Passado algum tempo, começam as brigas com a esposa. Paulo Honório se incomoda com o pensamento independente de Madalena e com a postura protetora dela em relação aos empregados da fazenda que ele trata de forma bastante bruta. Mesmo após a gravidez dela e o nascimento do filho homem, as brigas só pioram. Tomado de ciúmes, passa a atormentar a esposa, que ele considera como propriedade, se torna paranoico até o ponto de Madalena cometer suicídio.
Após a morte de Madalena, Paulo Honório fica abandonado, sobram apenas seu filho e seu fiel capanga. Os negócios na fazenda começam a cair e ele não tem mais forças para reerguer. Na época, o Brasil passava por uma fase de tensão social em plena era Vargas.
Amargurado, resolve escrever sua biografia, faz uma autorreflexão, mas não se arrepende de nada, acha que tudo que fez se deve a dureza de sua vida. A frieza do relato de um homem calculista demonstra que para ele tudo era coisa, inclusive as pessoas, para o alcance de seus objetivos. É o que se chama de reificação.
Graciliano Ramos nos leva, através das páginas, pela ótica do opressor, que se desumaniza e acaba por decair junto com sua fazenda. É possível entender, do ponto de vista psicológico, os sentimentos desse vilão que representa a ideologia capitalista, que se choca com o ideal socialista de Madalena, mulher humanitária e a contradição do modo de vida dele, mas não a ponto de mudar o embrutecimento de sua alma.
Eline Magalhães Leite
Belo Horizonte, MG, dezembro de 2015

Compartilhar

4 COMENTÁRIOS

  1. Oi Eline,
    Vê sua foto atual e ter o prazer de ler sua ótima sinopse, me fizeram retornar a um tempão atrás quando a peguei no colo ainda criancinha muito linda. Daí, não posso não refletir sobre a inexorabilidade do tempo e seus feitos. Nada pode ser melhor que a experiência de vida, o conhecimento acumulado, o amadurecimento e a melhoria contínua de nossa capacidade de melhor entender o mundo, as pessoas e entre os valores, aqueles que nos tocam à alma.
    Ler e entender Graciliano Ramos é um desafio, pela distância entre o tempo dele e o nosso, mas você, deu um show, seu cérebro está afiadíssimo, sua interpretação da obra é fiel à intenção do autor e seu jeito de escrever, uma doçura!!!
    Fiquei agradavelmente surpreso.
    Parabéns e um abração
    Fernando Magalhães

DEIXE UMA RESPOSTA

*