Ata da reunião da diretoria do FAM, de 08.07.2007

0
479
Abel Magalhães

Ata da reunião da diretoria do FAM, de 08.07.2007

ABERTURA – Às 11:30h, do dia oito de julho de 2007, o presidente José Adilson abriu o encontro pedindo à associada Ivany que fizesse a oração inicial, a qual foi dedicada à memória do nosso irmão José Magalhães e pela associada Carla Magalhães, em função de uma cirurgia a que se submeteria no dia 10 subseqüente. Em seguida, convocou o secretário para a leitura da ata da reunião anterior, que foi a8provada por todos.

Tesouraria – Betinho iniciou dizendo que o resultado do período foi inferior ao do mês anterior porque houve confecção de uma coroa de flores e da lembrancinha de 7º dia em homenagem ao inesquecível associado José Magalhães. Leu o balancete, que não sofreu qualquer restrição.*

Departamento Social – Cláudio Magalhães disse que, devido aos acontecimentos que enlutaram a família nos últimos dias, não tinha tido condições de programar nada. Pediu sugestão à assembléia para o Dia dos Pais que acontecerá no próximo mês. Discutido o assunto, ficou determinado que a reunião seria antecedida para o sábado à noite, seguida de um jantar.

Diretora cultural – Rose lembrou a eleição do Cristo na noite anterior como uma das sete maravilhas do mundo e como um grande acontecimento cultural. Cláudio disse (lembrou) que ainda não tinha votado… Risos… (a eleição já tinha encerrado).

Diretora de patrimônio – Miguel, representando a diretora Ivany, garantiu que o retelhamento da sede e do cassino do Fam seria feito ao longo do mês.

Palavra livre – Fizeram uso da palavra os associados: Cláudio, que informou estar fazendo uma reforma em sua casa a pedido da esposa. Disse: “Vou fazer o que ela quiser”. Acrescentou que estava contando com a valiosa assessoria do associado Betinho para fins de instalações elétricas, informática, sala especial de som etc. Disse que estava à disposição de todos para receber sugestões. Realçou que estava vivendo uma fase muito boa de sua vida, sem problemas em casa. Agradeceu a hospitalidade do filho Cláudio Jr por estar cedendo a casa aos pais durante a reforma em sua residência. Disse que tinha levado o barzinho de sua casa para o pontal da praia e convidou todos para a inauguração do mesmo no fim-de-semana seguinte, lembrando que quando se é feliz, qualquer pretexto serve de desculpa para uma comemoração. Cláudio Jr fez referência à morte indesejável do tio José. Disse que o fato constituía incomensurável perda. Invocou o exemplo de seu pai e a sua ligação para com o irmão. Lembrou o carinho e o bom relacionamento que existiam entre ambos e toda a família. Lembrou o sofrimento que a família do tio não deveria estar passando com a sua morte. Disse da falta que deverá acontecer com a sua ausência material. Aproveitou para lembrar também a necessidade de se repensar a vida e evitar determinadas atitudes pequenas, comuns nos seres humanos, e que dão um prejuízo enorme. Disse que, muitas vezes, tais atitudes fazem com que não enxerguemos o óbvio, salvo quando o perdemos. Marcos César anunciou exemplo acontecido com um seu amigo, que precisou fazer uma cirurgia do coração. O seu grupo sangüíneo era “a” negativo e ele precisou de transfusão. Diante do imenso abismo na consecução do referido bem, a solução veio através de um funcionário da Mister Áudio, que doou o sangue para a mencionada cirurgia. Emocionado, disse que não tinha como agradecer ao primo Carlos Magno, que intercedeu e viabilizou a conquista do objetivo. Pediu que registrasse o fato em ata. Encerrou falando do valor dos e-mails trocados ao longo do sofrimento do tio José Magalhães, envolvendo Abel e Carla, que serviram de ponte entre as partes. Rose destacou experiências de vida ante a nova situação da Fátima Magalhães. Imaginava o sofrimento que ela e os filhos deverão estar passando com a morte de seu ente querido, e que deverá enfrentar por muito tempo. Lembrou que eles deverão sentir muita falta dele e que vão precisar contar muito com o apoio da família e dos amigos para superar os desafios que deverão aparecer. Disse que, como viúva de um Magalhães, enfrentou com grande disposição os seus desafios, e que, por isto, estava com a consciência tranqüila. Fez referência ao que o Cláudio Jr disse, porque, de fato, muitas vezes só descobrimos o valor das coisas e das pessoas quando as perdemos. Cláudio discorreu sobre o sentimento que envolveu a Fátima, seus filhos e netos ao longo das solenidades fúnebres que presenciou. Pediu que a Fátima e o Marcus não interrompessem o vínculo com o NE, inclusive o Marcus não esquecesse a promessa de comparecimento às A.G.O. do Fam. O gesto será a garantia da presença do nosso inesquecível irmão, E não haverá representante melhor. Ivany disse que, quando estava no Rio dando assistência ao irmão doente, percebeu que ele falava muito durante o sono. Uma vez, para seu espanto, ele cantou a primeira estrofe do Hino Nacional. Ela disse que ficou arrepiada. Betinho discorreu sobre as dificuldades que teve para confeccionar uma lembrancinha do tio José para a missa de 7º dia, celebrada em Arapiraca. Com o apoio de suas filhas e da esposa, o documento foi confeccionado. Devemos destacar a felicidade na construção do texto, que registrou uma das mais vivas lembranças do querido tio, o seu amor pelo rio São Francisco. Abel fez um resumo da viagem que os representantes de Arapiraca fizeram às solenidades fúnebres do inesquecível irmão José Magalhães. Lembrou que oito associados de Arapiraca se fizeram presentes e descreveu as cenas emocionantes ocorridas no fatídico dia. Foram momentos de grande emoção, em que a assembléia se sensibilizou fortemente. Reproduziu parte de mensagens trocadas pelos e-mails entre ele e a Carla e encerrou mostrando um folder do empreendimento onde o presidente de honra do Fam estava enterrado. No mural estavam as duas lembrancinhas das missas do 7º dia, celebradas em memória do inesquecível irmão.

Conclusão – Eram 12:40 horas, quando o presidente agradeceu a presença de todos e encerrou o encontro sob forte emoção geral.

Original assinado por:

Abel de Oliveira Magalhães

Secretário

* Conta do Fam na Caixa Econômica Federal, 7690-0, Ag. 0056, controle 013.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*