SUMÁRIO DA REUNIÃO DA DIRETORIA DO FAM, de 11.04.99

0
643

SUMÁRIO DA REUNIÃO DA DIRETORIA DO FAM, de 11.04.99

Abertura: Às 09:30h do dia 11 de abril de 1999, o Presidente Abel de Oliveira Magalhães abriu a reunião com a leitura da ata de março pelo secretário Miguel Júnior. O associado Fernando Magalhães fez uma ressalva: pediu que constasse em ata a sua observação de que “a doação de qualquer patrimônio de dona Olívia requer a aprovação em cartório de 100% dos herdeiros. Sem isso, nada pode ser feito”.

Tesouraria – Cláudio apresentou o balancete das contas de março de 1999, aprovado pelo Conselho Fiscal.

Nome

Valor em R$

Saldo em Poupança

4.029,11

Empréstimos

2.150,00

Mens.vencidas

850,00

Passeio à Foz(Empréstimo)

227,00

Total

7.256,11

Nome

Valor em R$

Receitas de março

617,00

Despesas

151,76

Saldo operacional

(+)465,24

O tesoureiro informou o CGC do FAM – 03073881/0001-69. No dia seguinte, iria com o presidente ao Banco Real regularizar a conta da Associação.

Direção Social – Vânia avisou que estava tudo pronto para o primeiro campeonato de dominó infantil e adulto do FAM. Lembrou que a partir do próximo mês haverá o grande Campeonato de Biriba. As duplas serão formadas através de sorteio. O campeonato será durante todo o mês de maio e questionou sobre o almoço do Dia das Mães. O assunto será decidido posteriormente.

Diretoria Cultural – Margaret informou que está protocolando todos os livros da biblioteca do Fam. (No meio de sua pauta, entraram duas crianças com um buquê de flores em homenagem ao seu aniversário, presente de Edson Souza e Betinha. Todos ficaram de pé aplaudindo. Magal se emocionou. Em seguida, retomou a sua pauta). Explicou que estava sem tempo por estar fazendo um curso de pós-graduação. Fez referência a um texto publicado na Folha de São Paulo de 03.02.99, sob o título: Educação, emprego e cidadania*. Afirmou que estava muito preocupada com os rumos da família do FAM. Fez uma explanação sobre o assunto e disse quanto é fundamental a educação para todos nós, principalmente para os nossos filhos. Maria de Lurdes informou que, no INSS, a partir do ano 2000, para ser serviçal, será necessário ter segundo grau. Inúmeros exemplos vieram à tona, indicando a troca de funcionários sem graduação por novos que possuam nível superior e para receber o mesmo salário. Houve ampla discussão sobre o assunto e ficou decidido que a diretoria irá pedir ao associado José Magalhães que faça um projeto sobre o assunto para preparar a família para o próximo milênio.

O Presidente – Abel apresentou a sua pauta. Doou o livro A tentação de Angélica, de Anne e Serge Golon à Biblioteca do FAM; comunicou o início da nova edição do jornal Notícias do FAM, de nº 34; realçou a atuação do Conselho Fiscal; cobrou a regularização da sede do FAM a cargo do associado Antônio; cobrou informações sobre o poço artesiano, análise do solo e a confecção da bandeira do FAM; cobrou a posição de inadimplência; perguntou sobre a atualização dos empréstimos; pediu ao Cláudio o preenchimento do relatório operacional (previsão orçamentária e atualização) e galeria dos presidentes.

Palavra livreMiguel garantiu que o banheiro da sede do Fam estará recuperado até a próxima reunião, quando acontecerá O Dia das Mães. Cláudio disse que foi a uma festa da terceira idade com sua esposa. No meio do evento houve a apresentação de um “Guerreiro”, dança folclórica regional. Quando viu sua irmã Bernadete se apresentando, ficou todo orgulhoso. Bernadete só o viu no final da apresentação e ficou toda envergonhada. Cláudio informa que ela tem um dom especial, e que se apresenta com muito louvor. Todos os seus familiares deveriam prestigiar. Antônio declarou que ainda sente seu coração sangrando com a morte de seu filho Marcos no ano passado. Pediu para que a família fizesse um documento dirigido ao Ministro da Justiça, que é alagoano, para que ele interferisse no andamento do processo. O plenário se posicionou contra, ponderando que a mãe da vítima, por ter recebido várias ameaças, não queria mais saber do assunto. A Assembléia entendeu que Antônio, na função de pai, deveria tomar as providências que achasse necessárias em seu nome pessoal e não envolvesse o Fam nesse caso muito melindroso, independente de poder contar com a ajuda de todos sempre que for necessário. Wirley recitou os versos da música “A Família”, do padre Zezinho, contagiando a todos com muita emoção.

Original assinado por:

Miguel de Oliveira Magalhães Júnior

Diretor-Secretário.

Obs: Data da próxima reunião: 09 de maio de 1999, aniversário da Wilma.

*O texto será reproduzido no jornal Notícias do FAM.

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*