Ata da Assembléia Geral Ordinária de 29.01.95

0
490
ATA

Ata da Assembléia Geral Ordinária de 29.01.95

Com início às 12:15h, na casa do associado Cláudio de Oliveira Magalhães, teve lugar mais uma assembléia geral do FAM. De acordo com o art. 24 dos estatutos, o Secretário leu o Edital de Convocação e pediu aos presentes que indicassem um dos associados para presidir os trabalhos. A indicação recaiu sobre o associado Sr. José de Oliveira Magalhães. De posse do Edital, o Sr. Presidente deu início à pauta do dia, pedindo ao Secretário que fizesse a leitura do relatório das atividades da entidade referente ao período encerrado. O documento foi aprovado por unanimidade e obteve voto de louvor do Presidente. Em seguida foi a vez do relatório da tesouraria, que apresentou um saldo de caixa em poupança de R$ 694,31 (seiscentos e noventa e quatro reais e trinta e um centavos) também aprovado sem restrição. O item “D” do Edital sofreu uma modificação: a cota de participação de cada associado passou a ter como parâmetro o “real” ou o “dólar” (o que tiver maior cotação). No caso, a mensalidade atual é de R$ 1,00 (hum real) e não $ 1,00 (hum dólar), como antes. Alteração aprovada por unanimidade. Autoria do associado Sr. Miguel Magalhães. Sobre cotas extras para o novo exercício, o associado José Magalhães voltou a aderir ao plano das cotas extras de R$ 5,00 mensais. No item “Regularização dos Associados”, veio à tona o caso do Sr. Ednilson Senossien, que ficou assim decidido: Pela falta de respaldo nos estatutos, ele deixa de ser sócio do FAM no momento. Caso tenha interesse, deverá apresentar proposta de sua esposa Jane Lúcia e iniciar tudo do “zero”, inclusive em termos de mensalidades ou anuidades. Sobre inadimplência, ficou decidido um prazo de até 03 (três) meses de tolerância, findo o qual, o associado será convidado a se desfiliar do clube. A propósito, Edson Souza teve uma feliz idéia. Indagar do inadimplente: “I FAM é coisa séria?” Para quem acha que é, honra os seus compromissos. O associado José Magalhães aproveitou para alertar: “Em 96 estejamos preparados para uma reforma estatutária”. Foi eleita a nova diretoria, encabeçada pelo associado Sr. José Adilson Magalhães, tendo como tesoureiro o associado Marcos César de Góes Magalhães, como Secretário o mesmo e como Diretor de Eventos Sociais e Esportivos, Edson Souza. Adilson agradeceu o apoio recebido e se comprometeu a dar o máximo de si em prol do FAM. No item “Palavra livre”, José Magalhães obteve aprovação de voto de louvor à Secretaria pelos serviços prestados ao FAM; Cláudio pediu “um minuto de silêncio” em homenagem póstuma ao falecimento da genitora do associado Edson B. Souza, Sra. Carmelita Barbosa de Souza; “voto de louvor” ao associado Fernando Magalhães por ter emprestado o dinheiro para pagamento da energia da Fazenda Magalhães, sendo que o ressarcimento de seu empréstimo deve ser transformado em anuidades do próprio e o restante dado a D. Olívia em forma de presente; propôs arredondar o salário do Sr. Juracy Magalhães para R$ 100,00, na condição de ele regularizar sua situação financeira junto ao FAM. Betinha assumiu compromisso de quitar a referida dívida no valor de R$ 22,00 (vinte e dois reais) e a idéia do salário evoluiu para R$ 150,00 numa interferência do associado Edson Souza, cujo reflexo redundou em forte crise de choro do Sr. Juracy, que ficou muito emocionado. Cláudio informou que, por solicitação do Fernando, Juracy teria cavado uma fossa, eliminando o esgoto da frente da casa, fato concretizado em 28.01.95, segundo palavras do próprio Juracy. Antônio Magalhães fez um registro de pesar pela morte da genitora do associado Edson Souza; parabenizou o novo Presidente Adilson e a ex-diretora. Disse de seu orgulho saudável em ser membro do FAM. Marquinhos parabenizou a diretoria anterior e a futura; recomendou a leitura dos estatutos por todos os associados e exaltou a necessidade de se vestir a camisa do FAM. Pediu que todos participassem das reuniões. Cláudio Júnior parabenizou o pai pela sua gestão “apesar das divergências naturais” e desejou sucesso para a nova diretoria. Lurdinha prometeu atualizar a previdência do Juracy. Rose disse que há oito anos entrou na família Magalhães. Já recebeu um título carinhoso – Tia Rose – e que se sente orgulhosa por tudo. Disse que todos são um pedacinho dela. Miguel Magalhães agradeceu a todos que confiaram nele e desejou que a nova diretoria faça mais do que a anterior. Eram 14:30h e o Presidente encerrou a reunião realçando o valor do FAM e chamando atenção para não confundirmos as funções principais do FAM – Assistência social x Fundo perdido. Fez um registro especial sobre o jornal do FAM, destacando os depoimentos da Ana Lúcia, do Denis, etc. Nada mais havendo a tratar, lavrei a presente ata que vai datada e assinada por mim e pelo Presidente e será submetida à apreciação da diretoria na próxima reunião.

Arapiraca (AL), 30 de janeiro de 1995.

Original assinado por

Abel de Oliveira Magalhães

Secretário

Compartilhar

DEIXE UMA RESPOSTA

*